5 de mai de 2013

Encontros, desencontros...coisas de Bridget Jones.



Toda mulher tem um lado meigo, carinhoso e delicado até mesmo sendo madura, emancipada, independente; por mais moderna e segura de si que seja, é vaidosa, gosta de se arrumar, sentir-se bonita, atraente ao olhar-se no espelho, a não ser que esteja de mal dele, naquela fase Bridget Jones (começo do filme): pijama, meias, um sofá ou cama, uma agenda vazia, um controle remoto, um pote de sorvete ou uma caixa de bombons...
O telefone não toca, no messenger todo mundo online menos quem você quer... Resta o sonho de um Mark Darcy (se bem que é por causa deles que geralmente ficamos nesta fase)que preencha um cadinho de nossas emoções e desejos  também, sei que estamos mais para o fim do que para o começo, mas definitivamente não estamos mortas!


Diria que meia idade é uma fase crítica em nossa vida sentimental e sexual, homens solteiros, heteros e disponíveis não estão dando "sopa" por aí, nem mesmo o tipo Daniel Cleaver - o cafajeste do filme - está fácil de encontrar neste "mercado" tão concorrido.

Claro que a gente não está lá essas coisas nesta idade, a pele cai, as rugas se insinuam, geralmente temos uma gordurinha tão apaixonada por nós que não desgarra da carne, só se for no bisturi! Como falta grana e sobra bom senso, vamos encarar a realidade:


A coisa tá feia.







Mas mulher é um bicho de fases, acaba driblando as crises existenciais/amorosas, volta a ser feminina e disposta a dar-se uma outra chance. Obs: Não tenho muita certeza disso afinal porque mesmo estou escrevendo este texto? rs


Gosto duvidoso...mas é bem melhor que a anterior!
Certa ocasião ouvi um médico ginecologista (se não me engano foi o Dr. José Bento) falar sobre sexualidade feminina e ele dizia o quanto é importante as mulheres se cuidarem, se sentirem femininas e desejadas para  terem prazer nas relações sexuais e amorosas e que para as mulheres as relações começam bem antes de um encontro amoroso e/ou sexual.

Seria como um ritual que começa a partir do momento que planejamos ou marcamos um encontro, existe todo um lado erótico/sentimental que é alimentado, seja na escolha de uma lingerie, na compra de uma roupa linda que sabemos vai agradar, uma depilação e banho caprichados, um cuidado com os pés, mãos, pele, aquela gotinha perfumada no ombro e pescoço, um jeito charmoso de prender ou soltar os cabelos...Quase como se fosse um carinho imaginário que percorre o corpo e arrepia até a nuca, a libido se instalando, preparando nosso corpo para o amor. Bom isso, né! 
Pena que são tão raros esses momentos, geralmente mais no começo dos relacionamentos quando o encantamento ainda está presente e tudo é mágico.

Expectativas de amor...delícia...Mas nem sempre o começo(assim como o final)é feliz,existem desencontros...É cruel demais com uma mulher depois de todo esse ritual mágico o encontro não acontecer, suas fantasias de mulher se evaporarem, sem beijos, sem abraços, sem carinho, sem colo...E por mais que tentemos nos convencer com alguma desculpa para tal comportamento masculino, no fundo sabemos que aconteceu, ou melhor, não aconteceu, porque não estava a fim mesmo, mudou de ideia ou sei lá o quê mais, menos as desculpas idiotas que criamos mentalmente para eles (coisa de louco, eles pisam na bola e nós os defendemos na cabecinha romantica, certamente com aquela ponta de esperança de uma nova oportunidade)

Mas logo vem o bom senso e a gente fica com vergonha de ser tão abestalhada e o que resta é apagar o fogo, rasgar os acessórios em mil pedacinhos, descer o perfume pelo ralo, pôr o pijama, chorar, escolher umas guloseimas e voltar à fase I de Bridget Jones! 
Tá, vocês devem estar falando que esses tipos não merecem essa "fossa" (pois é, sou velha mesmo, gíria dos meus tempos de mocinha)! Têm toda razão razão, mas é "facim" pensar assim quando o gostosão não é o das nossas fantasias! rsrs

 O bom da vida é que nada doi eternamente, somos (?) fortes, cedo ou tarde superamos (mesmo que depois de uns kilos a mais ) dando chances quem sabe  de acontecerem novos encontros, novas fantasias, novos amores e quem sabe, velhos e renovados amores. Deixar de lado as sandálias de dedo, as camisetas velhas e de vez em quando ser mulher para quem quer e pode retribuir todo esse nosso ritual de ser mulher e se entregar aos braços do homem que ela deseja. Sem esquecer, antes de tudo, estarmos apaixonadas por nós mesmas, pode demorar um cadinho, mas vale a pena!


Relendo...muito contraditório...mas é assim que sou quando o assunto são os do coração.

Dalva Rodrigues




 
Uma resenha de O Diário de Bridget Jones, aqui!

Toda mulher deveria assitir essa comédia romântica deliciosa, os livros não li!