9 de mar de 2014

Uma história de bonecas



Serafina nem existia
Mesmo assim era persistente
Insistia que queria ser menina:
Ter pernas finas
Um lindo vestido florido
Correr pelos campos
Muitas flores poder colher.

Um dia a moça se inspirou
Largou o Tacho na cozinha.
Pegou linhas, tecidos e carinho:
De suas mãos nascia Serafina:
Uma linda  bonequinha.

Serafina era feliz
Mas queria ser menina de verdade
Ter uma amiga para olhar as estrelas
Brincar de roda, cantar.
Apesar de sonhadora
Era esperta.
Enquanto não virava menina
Nem tinha uma amiga
Brincava sozinha.

O tempo passou
Outro sonho se realizou.
A moça novamente se inspirou
E a doce Rosa criou.

Era formosa e esguia
Nos cabelos, uma rosa.
Gostava de artes
Brincava com tintas
Usava avental de bolinhas.
E toda vez que pintava
Ficava tão contente
Que depois corria pular amarelinha.

Num lindo sonho de bonecas
Serafina e Rosa se encontraram
Uma linda amizade brotou.
Para a pequena Serafina
Ser menina de verdade já não importava.
Mil aventuras viveram
 
Com os livros viajaram
E nunca morreram:
Tornaram-se memórias
Da menina de verdade
Que brincava com elas
Bonecas pelo chão
E muita imaginação. 





Quando ganhei minha primeira Pepa, lá do Tacho  dei o nome de Serafina por causa das pernas finas, lembrei do nome Serafina Rosa, personagem da Marília Pera na novela "Uma Rosa Com Amor". E agora que ganhei a outra bonequinha, não pensei 2 vezes assim que a vi pessoalmente: Rosa!
Serafina Rosa e Claude - 1972/3
Que a criança em nós nunca morra e a saudade  venha sempre acompanhada de um sorriso.
Obrigada pelo carinho, Lia e Virginia!!

Dalva Rodrigues