27 de jul de 2014

Poema para um dia frio


Um dia para viver...


A janela se abre
O sol se infiltra pela cortina transparente

Luz para meu olhar.
Amo a trégua dos momentos difíceis
A possibilidade de existir.

Amo as canções que agitam os membros
As pernas frágeis que tímidas bailam.
Amo o calor morno do agasalho em tarde gelada.
Amo a sopa fumegante que revigora a matéria.



Amo a água aquecida.
Amo o pijama quentinho em contato com a cama fria
Aconchego para ossos extenuados.
Amo a calada da noite

Que traz um dia riscado.
Amo a música baixinha que embala memórias doces
Pensamentos rebeldes.
Amo o sono que chega de mansinho

Só eu e o travesseiro.

Acordo e amo a manhã
Que rebenta no horizonte.
Traz lábios que sorvem cores quentes
O frescor.
Promessas.
Um dia de calor.



Dalva Rodrigues