29 de mar de 2015

Vai véia

Vai véia!
Atravesse logo essa rua.
Sua vida foi tão longa
Correu tanto e agora não tem pressa?

Vai véia!
Não dobre seus joelhos frágeis.
Segure firme suas sacolas.
Não deixe seus restos pelo chão.

Vai véia, atravesse! 
Rápido!
Olhe sempre para baixo.
Não tropece no buraco.
Não me force a perder  tempo em ajudar
Basta o trajeto que me força a desviar
De sua figura
De seus passos curtos, inseguros e sem vigor.

Vai véia!
Da cabeça branca
Pele amarrotada
Costas encurvadas. 
Apresse-se!
O temporal se aproxima

A enxurrada a espera
Se nela cair
Ninguém vai segurar.
Talvez filmar.
Amanhã terão assunto para postar:
Viu a véia arrastada pelas águas?
Eu filmei
Se curte pode compartilhar!

Vai véia!
A buzina do carro é só pra assustar.
Temos pressa de viver
Você só faz esperar a morte.
Quem vai lhe notar?

E a véia foi.
Empurrada pela dignidade de quem viveu 
Sobreviveu.
O temporal caiu.
Camuflou as lágrimas.
A enxurrada era suja
E na força competiu com sua dor
Pela tristeza que a inundou.
 
Já no quarto desbotado
Correu os olhos pelas folhas de seda amassadas.
Viu-se jovem e forte
Nas poucas fotos encardidas.  
Olhou para as mãos enrugadas
Tão marcadas.
Sorriu.  
Tomou leite quente
Comeu um biscoito
E se deitou.
Pensou
Ou quem sabe sonhou.
Adormeceu.
Morreu. 

 Dalva Rodrigues
 



Vídeo: Um dos melhores solos de guitarra do rock and roll

Lynyrd Skynyrd - Free Bird

 



8 comentários:

  1. Triste e muito bonito ao mesmo tempo!!!!
    É assim mesmo.
    Beijo.
    Rosana.

    ResponderExcluir
  2. Triste ver o descaso, o modo como os idosos são tratados ou encarados tantas vezes, como se estivessem aqui apenas a espaço a ocupar. Triste, mas muito linda tua poesia! Tão real! beijos, linda semana e desde já Feliz Páscoa! chica

    ResponderExcluir
  3. A realidade nua e crua! Não ter a Consciência de que um dia tb ficará velho, de ter limites... é muito triste!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Dalva!
    Que bela prosa!
    Admiro as pessoas que sabem envelhecer e olham para o mundo com a certeza de que aquilo que os comuns enxergam não passa perto do que as pessoas especiais sentem.
    Também quero uma morte serena e sábia... rs.
    Ficou muito bonito e não vi tristeza, apenas a realidade nua e crua.
    Adoro essa mistura de country, rock e blues!
    Feliz Páscoa!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  5. Oi Dalva,é a Vi, outro dia um cara que aparentava ser mais velho que eu, fominha no volante, me chamou de velha, não que eu esteja mocinha, mas acho que falta espelho para muita gente, principalmente para os sem educação.
    Infelizmente nossa cultura trata os idosos como um peso, um estorvo, e passam uma sensação aos jovens que eles não vão envelhecer.
    Duas coisas que não fazem acepção de pessoas: a velhice e a morte, pode ter aqueles que escapam da primeira, mas isso só acontece quando a morte chega mais cedo.
    Feliz páscoa. muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
  6. Não sei direito o motivo, mas me arrancou lágrimas...
    Talvez porque daqui uns dias, seja eu essa velha... que estranho pensar isso...
    Né? rsrsrs
    beijosssss

    ResponderExcluir
  7. Oi Dalva, é a Vi, vim agradecer seu comentário no Tacho.
    Uma semana iluminada.
    Beijos,Vi

    ResponderExcluir
  8. Dalva, vi por lá e o teu BASTA é bem forte... Essas coisas não precisavam mesmo existir,né? bjs, linda semana,chica

    ResponderExcluir