1 de jul. de 2019

O tempo das plantas, mortandade de abelhas e saúde de todos

Passei este semestre observando o pé de amor agarradinho na esperança de obter algumas sementes para uma amiga.

Apesar dessa planta estar por aqui há mais de vinte anos, não reparei no tempo dela. Sim, plantas tem seu tempo e certamente não é o tempo que nós desejamos.

Elas dizem silenciosamente: 

-Paciência, adormecemos e acordamos, no nosso tempo. As flores são minhas, não suas.

O começo da primeira florada este ano e um visitante nada esperado:

Vaga-lume em plena luz do dia?


As flores se tornam sementes, mas nem todas conseguem esta façanha, a maioria cai, só as mais resistentes do ramo não enfeitam o solo com seu rosado e tem a tarefa de possibilitar vida nova.

As sementes só estarão boas para germinar quando estiverem bem secas e mesmo quando plantadas nem todas germinam. A seleção é rigorosa.


Observe o tanto que cai de flores em relação ao tanto que fica.

Cachos e mais cachos formosos vão nascendo, se espalhando e subindo em qualquer lugar que alcançarem e puderem se "segurar".

Não sei o que é, mas achei bem interessante este tipo de casulo, me pareceu de aranha, mas nunca descobri.

Muitas abelhas frequentam a planta o dia inteiro e essa é a espécie mais comum:



Já tem um tempinho que tenho ouvido falar que as abelhas estão morrendo, mas só no último mês  percebi isso por aqui, elas quase não aparecem mais, aparecem mortas nos arredores, entram em casa meio doidas, desorientadas.

Dei uma rápida pesquisada e parece que é o uso excessivo de agrotóxicos que estão cada vez mais sendo liberados pelo ministério da agricultura, mais fabricantes deles os colocando no mercado.

Será que só faz mal para esses serzinhos tão importantes na natureza? 

As abelhas tem seu tempo, será que estamos interferindo no tempo delas e no nosso?

Triste como isso tem sido tratado e pouco se questiona.

 Link   de uma matéria sobre o assunto.

E para encerrar, uma foto linda de uma visitante que ficou vários minutos passeando pelos últimos galhos da última florada, já sem força.

Semana passada podei, o amor agarradinho, agora ele dorme. Espero acorde como tem feito estes anos todos, se esse for o tempo dele.


Se não prestamos atenção, não vemos essa perfeição.
A transparência é linda!


E de última hora um vídeo fresquinho no tema agrotóxicos.