16 de ago. de 2018

Almoço e desenho animado BC



Blogagem Coletiva 

Músicas da minha vida 08/12

Desde criança entrei na rotina doméstica, mas pra valer mesmo foi quando tinha uns 12 anos e minha vó que morava conosco começou a passar umas temporadas com a filha dela, minha querida tia Margarida, então minhas tarefas aumentaram, uma vez que minha mãe sempre trabalhou fora.

Durante a semana fazia ou servia o almoço para meu pai que trabalhava a noite, pegava meu pratinho e ia almoçar na sala e assistir os desenhos animados desse programa que muitos devem se lembrar:




Não existe nada mais antigo, do que cowboy que dá cem tiros de uma vez...


Terminavam os desenhos (o meu preferido era Os Mussarelas), ouvia a música de abertura do Jornal Hoje que tinha uma música linda (Weave me the Sunshine) limpava cozinha e ia para a escola.




Quando estava na sétima e oitava série, odiava tanto a escola que ME enganava, vez ou outra, dependendo da carrasca do dia (geralmente matemática) agia como se fosse para a escola, abria e fechava o portão para fazer o barulho, voltava e ficava escondida no quartinho de minha vó que era fora da casa e lá ficava ouvindo música bem baixinho e só saia quando estava na hora de "voltar" da escola.

As músicas ou vinhetas de aberturas de programas também são um ótimo elo com o passado.


Esta postagem faz parte da Blogagem Coletiva do Tacho da pepa
Quer participar ou ver outras participações?








16 comentários:

  1. Oi Dalva essas lembranças são muito boas, eu também gostava dessa música de abertura, Cowboy que dá cem tiros, kkkkkkkkk, é bem assim mesmo.
    Eu também cabulei algumas aulas, e acho que foi matemática, porque alguns professores, principalmente de matemática, parecem o capeta?
    Depois tinha que ralar, estudando com aquela amiga esforçada que só tirava 9, que ensinava melhor que o professor.
    Amei suas escolhas.
    Beijos,Vi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi, um bom professor de matemática é tudo, se você não tiver um que saiba realmente e tenha uma boa didática, certamente serão professores odiados e farão os alunos odiarem também a matéria. Só fui aprender e gostar de matemática quando fiz o supletivo do ensino médio, tinha um professor sensacional.

      Excluir
  2. Que danadinha tu eras,Dalva! Te esconder na casa da vovó,rs...Que amor! E esses fatos marcam muito. Adorei tuas lembranças e até as vinhetas dos programas. Ficam pra sempre na memória(enquanto ela ainda houver,rs)... beijos, adorei! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amei a "confissão" dela em ter matado aula, chica. Afinal, quem nunca?

      Excluir
    2. Chica, o quartinho era meu refúgio quando ela estava na casa de minha tia.

      Excluir
  3. Oi Dalva!
    Você e chica me levando às lágrimas hoje com a recordação dessas delicadezas...
    Você escreve com uma simplicidade riquíssima, está aí o segredo do sucesso.
    Essa descrição das suas manhãs, do pratinho na mão assistindo desenho e o fato de "matar aula" escondida no quartinho da vovó valeram muito, obrigada. Estou emocionada!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto carinho nestas palavras, Sandra, nem todos apreciam ou compreendem a beleza da simplicidade, Fico muito feliz, ainda mais vindo de você que escreve com maestria!

      Excluir
  4. Dalva, depois você precisa contar o final dessa história. Alguém descobriu que você, de vez em quando, trocava a escola pelo quarto da vovó?

    Muito obrigada pela visita ao meu blog e pelo comentário carinhosos. Vou ver essa questão dele não apresentar indicação para seguir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heloísa, não me lembro direito, mas se não me engano meu irmão me dedurou...mas naquele tempo os adultos não ficavam tanto no pé das crianças, pelo menos na minha realidade, fiz isso durante muito tempo, só cuidando para não repetir de ano por faltas, as notas ficavam sempre no limite. Música e leitura era/é muito mais interessante que escola.

      Excluir
  5. Dalva querida, criança tem cada uma!! kkkkkkkkkkk
    Voltei no tempo assistindo o vídeo, gosto demais! Amei relembrar um bom tempo!

    Bjs flor!

    ResponderExcluir
  6. Dalva, seus posts me levam ao passado. Também lembro bem dessa música do JH. À tarde eu assistia Perdidos no Espaço (acho que na Record). Vc assistia também? Beijos

    ResponderExcluir
  7. Helena, assistia Perdidos no Espaço, Terra de Gigantes (imaginava que eles andavam pela casa rs) e Túnel do Tempo também... Você tinha medo dos monstros de perdidos no Espaço? Eu morria de medo, hoje acho que não assusta nem bebês! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dalva, naquela época eu já devia ter uns 10 a 12 anos. De modo que não tinha medo. Adora o dr Smith, medroso, covarde...

      Excluir
  8. Oi Dalva, bt!
    Minha infância foi um pouco parecida com a sua. Desde muito cedo também enfrentei a rotina doméstica, já que meus pais trabalhavam o dia inteiro, aliás fui mais criada com meus avós kk. Na minha casa sempre teve empregada, mas meu pai me ensinou que p/poder mandar, a pessoa tem que saber e assim eu fui aprendendo a cozinhar com minhas avós, minha mãe e as pessoas queridas que trabalharam na minha casa.
    Claro que também almoçava na sala vendo TV kkk
    Essa música é linda, parabéns pela escolha e por mais essa linda participação!
    Bjsss amiga

    ResponderExcluir
  9. Voltei p/te responder que depois de prontos os petisquinhos, eu nem notei diferenças nos pães, talvez pq tenha usado muito mais o francês. Na minha opinião ficaram iguais.
    Acredito que com o pão de forma fique bom pq já fiz essas torradinhas tipo rabanadas e hummmm, maravilhosas.
    https://piteisdadinha.blogspot.com/2015/12/torradinhas-tipo-rabanadas-deliciosas.html
    Se quiser depois de ler pode apagar o link que eu não vou me incomodar ok?

    Mais bjs amiga

    ResponderExcluir