4 de nov. de 2019

As cores da rosa

As cores da rosa

Olhava deslumbrada a roseira silvestre com seus galhos flexíveis sem espinhos, de onde pendiam suas flores.

Uma roseira que dá rosas brancas, amarelas e cor-de-rosa, no mesmo pé!

Não é para se encantar?

Comentava convicta para outras pessoas sobre a tal roseira e suas flores coloridas.

Finalmente consegui uma muda que vingou, logo seu primeiro botão solitário despontou para o mundo.

Todo dia observava seu progresso, de que cor seria a primeira rosa?


E a rosa nasceu branca.


A rosa foi uma jovem amarela.

A rosa morreu cor-de-rosa, ligeiramente desbotada.


Disse a raposa ao Pequeno Príncipe:

"Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que a fez tão importante."


Consciente ou não, posso morrer na convicção do que a aparência me mostra, sem compreender as fases e cores de cada rosa.

Não tivesse cultivado a roseira, não teria  observado seu primeiro botão pouco a pouco se transformando, diluindo minha verdade sobre suas flores.

Seria eternamente a roseira sem espinhos e suas rosas coloridas que algumas vezes via lá no condomínio onde minha mãe mora.
Não tenho foto da roseira carregada, mas dá p ter uma ideia.


Andamos tão apressados em nossas certezas que a primeira impressão e interpretação, quase sempre é a que fica.

Esse é o novo ritmo ditado das relações  que acabamos aceitando? 
Será por  preguiça de pensar, orgulho, impaciência para observar e tentar enxergar as outras possibilidades, que nos impregnamos dessa primeira impressão do que vemos, ouvimos  e pior, replicamos?
Competimos com os outros para ter razão, mesmo sabendo que somos diferentes?

A vida pede um cadinho de paciência para cultivar nossas relações, vamos nos desarmar, estamos à flor da pele com tudo, só que não de flores, de palavras que são granadas.
Muitas cismas infundadas, pouco ouvir, pouca reflexão.

Da próxima vez que um amigo disser: -Vamos fazer uma caminhada?

Pense que é só um convite amigável, mais nada.

Não pense que estão achando que está gordo/a e sedentário/a.
Não ache que vão lhe pedir ajuda.
não ache que vão lhe pedir dinheiro.
Não ache que vão lhe oferecer dinheiro.
Não ache que vão lhe dar uma cantada.
Não ache que a pessoa não tem o que fazer, ou que ela ache que você não tem o que fazer.
E por aí vai...

Não deixemos o achismo tomar conta de nossas relações.

Se não quiser ou puder ir, simplesmente agradeça o convite e ponto final, sem respostas indiretas facilitadas pelas redes sociais, não alimente neuras, elas corroem os afetos talvez por coisas que muito provavelmente só existiram em nossas mentes inquietas.

Não somos o centro do mundo dos outros, nem dos que mais nos querem bem.

Palavras insensatas podem ferir e o estrago não pode ser apagado.

Não acredito que somos eternamente responsáveis pelo que cativamos (como disse também a raposa), mas deveríamos procurar antes de tudo a compreensão entre os seres, não é melhor assim?

E se não for possível, opte pelo silêncio, pela distância.

Certamente não é fácil.

O Pequeno Príncipe disse: 

-São tão contraditórias as flores.

Quase ao terminar de escrever este texto minha roseira que desta vez está com 4 botões, um deles abriu e surpresa, dessa vez com uma tonalidade de alaranjado. 


Todas as cores aparecem lentamente, se mesclando à velha e nova cor, provavelmente já definida em seus genes, mas sofrendo interferência do solo, da luz, do vento, dos cuidados de quem cuida (ou não).

E se observarmos a rosa à noite, as tonalidades também são diferentes, ou será que já é efeito do tempo entre uma foto e outra?

Alguém discorda que o Pequeno Príncipe tinha razão? Elas definitivamente são contraditórias.






E falando em Pequeno Príncipe, abaixo o quadro que minha madrinha/tia pintou para mim.

A outra tela também foi ela que fez, o vilarejo em Minas Gerais onde morava na infância, meu pai...


Passei dois dias com ela, dias de harmonia, tranquilidade, sem inquietações de internet e outras mídias, ela fez canja de galinha que é a melhor do mundo para mim, eu cuidei do jardim que ela já está com dificuldade para lidar, lembramos do passado, vimos fotos, falamos de receitas... 
Joguei Rummikub com minha prima, que acabou de sair de uma cirurgia e está ótima.

A vida simples como ela deveria ser, cada um dando seu melhor possível naquele momento, sem cobranças, sem escravidão de extensões virtuais.

Isso para mim é felicidade, sou muito grata a ela.

Afinal, não são só as rosas que são efêmeras e todas elas são únicas.


A raposa:"Só se vê bem com o coração" 

25 comentários:

  1. Oi, Dalva!

    Que texto interessante e repleto de mensagens e significados!

    E tudo começou por uma roseira, que deu um botãozinho, depois rosas de um outro tom e finalmente uma cor-de-rosa, um pouco desbotada. Como as pessoas, simples e naturalmente.

    Que bom é a simplicidade! Complicar é "habilidade" de alguns. Porquê? Creio k são pessoas mto infelizes.

    Li o "Pequeno Príncipe", como quase todo o mundo e de lá se extraem muitas conclusões.

    Adorei seu texto. Continue, escrevendo, desse jeito e dessa temática.

    Beijos e uma semana multicolor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Céu, as rosas mesmo sendo complicadas, no fundo são menos que os humanos.
      Obrigada pelo incentivo, bjs!

      Excluir
  2. Noooooooossa,Dalva!
    Que show de leitura nos proporcionar aqui!

    As rosas e suas tonalidades lindas.

    A roseira carregada muito bela.

    Tuas palavras mescladas com o Pequeno principe ficarás além de lindas,reflexivas...

    Adorei te ler,adorei saber de teus dias
    Longe de tudo ,na simplicidade, aquela que nos encanta!

    O que mais te dizer?

    Saio feliz daqui! Parabéns!

    Bjs,ótima semana! Chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. chica, valeu pelas palavras tão carinhosas e saber que ficou feliz ao ler, fico ainda mais feliz!! bjs

      Excluir
  3. Olá querida Dalva, tudo bem?
    Que lindo e reflexivo o seu texto, realmente nós seres humanos complicamos demais e não enxergamos a simplicidade das coisas. Qualquer situação já é motivo para discussões, brigas, xingamentos, não estamos conseguindo ver o melhor lado das coisas, o amor e a educação tem ficado de lado ultimamente. Gostei muito de ler o seu texto, parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Alécio, obrigada pela visita e comentário! Tem que haver espaço para a simplicidade, foco na paz, tem toda razão, bjs

      Excluir
  4. Querida Dalva, mas que belo texto nos passa, começando com as mutações das rosas, um texto gostoso de ler e com o sabor de quero mais ler e refletir. Como está agitada nossas vidas, amiga!Acho que ando meio conturbada com tantos noticiosos, bem que me afastei muito, não viverei para isso, não. Muito bom o que você escreveu, quantas vezes pensamos na frente dos acontecimentos? Eu faço isso, sim. 'Mea culpa'! Mas sabendo disso, estou plantando pra mim uma maneira muito calma de viver, filhos casados, fazendo suas vidas, agora é a hora da colheita dos pais... Tudo muito calmo e como queremos, é muito bom.

    "Só se vê bem com o coração"

    Pura verdade!
    Aplausos, querida!
    Um beijo e uma ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tais, penso que todos nós nos antecipamos, mas devemos controlar essa ansiedade, só temos a perder, não vale a pena, é como um vicio. Antigamente se falava: conte até 10, hoje conto até cem, no meio do caminho nem lembro mais.
      Aproveite muito esta nova fase, certamente haverá delícias para descobrir e viver. Obrigada, bjs

      Excluir
  5. Dalva, lindo texto, suave. Quando criança, ouvia os adultos falarem que o mundo acabaria em 2000. Sim, hoje entendo que aquilo tinha lá um fundo de verdade. Foi em meados do ano 2000 que a internet chegou, claro que temos o lado bom, sem dúvida. Mas com ela essas relações humanas se tornaram tão esquecidas - todo mundo se interage, se agride e ninguém se conhece. Triste. Foi-se o tempo que fazíamos um bolinho e levava um prato para a vizinha - hoje nem conhecemos nosso vizinho de andar. Momentos assim, como você teve com sua tia, que devem ser prevalecidos. Bom dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo comentário, Helena, complementou o texto com maestria. Tem toda razão, esse avanço tecnológico deixa as pessoas mais incontroláveis e longe da paz em todos sentidos, o jeito é agarrar esses momentinhos possíveis no meio do caminho. bjs

      Excluir
  6. Olá, Dalvita,

    Eita, mulher, isso é o que chamo de iniciar uma conversa, que pode durar horas, a partir de simples observação sobre rosas e suas cores, rsrs. Vou então destrinchar, segundo o meu ponto de vista e - rapidamente - o que foi dito, por partes.
    No que se refere à necessidade de educarmos as pessoas - e, nesses últimos meses, para mim ficou claro que há uma necessidade gigantesca de se educar o povo -, inclusive quanto a coisas simples, como a de se fazer uma mínima reflexão, antes de se tirar conclusões sobre o que ouvem ou leem... eu tendo a querer levar isso muito à sério, na maior parte do tempo. Porém, muitas vezes, penso em ignorar e deixar que este povo tolo e teimoso pague o preço integral, completinho, das consequências da própria tolice. Para ser sincera, ando de saco cheio das vaidades fúteis e da burrice galopante, que grassa em muitas redes sociais. Tenho cortado - aos montes e sem nenhuma culpa - pessoas de minhas redes sociais. Por que eu deveria mantê-las, se já há inúmeras outras - com quem não tenho nenhuma relação, comentando e sendo imbecil, sobre questões importantes, abordadas pelas diversas mídias?
    Outra coisa, é o cultivo das relações, o interesse... "foi o tempo que dedicaste à tua rosa que a fez tão importante". Sempre foi assim e assim há de ser sempre. Se, no entanto, as pessoas pensarem em fugir disso, ou seja, de disponibilizarem tempo e interesse real pelos outros, terão como resultado, relações rasas e pouco significativas.
    As coisas simples, as relações sólidas, as amizades que permanecem sempre haverão de fornecer consolo e nutrição aos nossos espíritos, e só pessoas bobas é que abrirão mão disso.
    Quanto às rosas - de cores diferentes no mesmo pé - e de cores diferentes em diferentes circunstâncias, acho que isso é puro milagre, rsrs.

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marly, lembro que já nos tempos de orkut já se via umas tretas nas redes sociais, as coisas foram cada vez mais aumentando conforme as extensões dos pensamentos virtuais também aumentava e se tornou o que é hoje, a questão política só piorou as relações, incluindo as reais. Faz bem se afastar um pouco das ditas, né! Perdi amigos, mas ainda bem que minha convicção estava certa, quisera estivesse errada, porque o trem tá feio, muito pior do que poeria imaginar.
      Obrigada pelo comentário, bjs

      Excluir
  7. Boa noite de paz, querida amiga Dalva!
    Que post mais consistente e ontem estive envolvida em frases do Pequeno Principe. Programei algumas para o blof mae.
    Amo as que colocou aqui e o entremeio resultou numa belissima prosa poetica.
    Fui lendo e me recordando de um canteiro com varias cores de rosas que sempre acompamho. Entrei no cenario do seu post com alegria.
    Alegrei-me com a jardineira que cuidou do jardim para ajudar a familiar...
    Dalva, muito lindo:
    "... Vamos nos desarmar, estamos à flor da pele com tudo, só que não de flores, de palavras que são granadas."
    Perfeito!
    Voce escreve com a alma, amiga.
    Tenha dias felizes!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosélia, obrigada pelo comentário tão carinhoso, fico tão feliz!
      Quando puder me passe o link deste blog, com a BC dando um tempinho, posso te acompanhar neste outro, será um prazer. Tenho certeza de que será ótima a postagem sobro o PP, adoro, desde sempre!!bjs

      Excluir
    2. Bom dia, querida amiga!
      Trago um link que podera gostar. Sendo assim...
      https://www.escritosdalma.com.br/2019/10/felicidade-impar.html

      Tem meus blogs na ativa no Meu Mundo Azul, abaixo do post. De uma espiadinha...
      Muito feliz com seus acompanhamentos neles, amiga.
      Bjm carinhoso de gratidao
      🍀💞🎶🐦🌸🌼🎀😘😘

      Excluir
  8. Oi Dalva, bom dia!
    Se eu morasse n/casa ela certamente viraria um ROSEIRAL kk, acho lindas as rosas.
    Uma vez minha mãe comprou uma roseira como sendo de "rosas" brancas, mas quando ela floriu veio com "rosas" de um lilás lindo e que em pouco tempo se transformou n/roxo maravilhoso. A natureza realmente nos embebeda com as suas infinitas belezas. Se todos os humanos entendessem disso, certamente viveríamos em mundo muito melhor. Que pena que não é assim né?
    Bjsss amiga e um lindo dia aí p/vcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Dinha, exatamente assim!! E realmente é uma pena, só teríamos a ganhar em todos os sentidos! Obrigada e bjs!

      Excluir
  9. Querida Dalva
    Eu sempre me encanto com suas postagens!
    Que coisa mais linda esta roseira.
    Pressa correria, falta de tempo...e assim vamos caminhando.
    Que momentos únicos com sua tia e prima, isso que faz a vida ficar mais saborosa
    Delicioso seu post.
    Quanto ao cinema, minha amiga não é só aí não..aqui também! Pelo que observo, só estão passando os legendados nas sessões da noite.
    Não sabia que estive por suas bandas! Adorei o shopping!
    Beijão e obrigada pela visita, sempre carinhosa, no blog, adoro
    Claudia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Claudia, são únicos por ter afeto envolvido. Já moro em Itaquera há 23 anos, aprendi a gostar do bairro, apesar de ter lá os seus problemas, como todos bairros. Quanto as sessões legendadas ou dubladas, acho que o que prevalece é a demanda, afinal tudo são negócios, em qualquer lugar ou setor.
      Feliz com sua presença e comentário, bjs

      Excluir
  10. Oi Dalva essa roseira é linda, cuidando da minha muda, porque já teve diversos bichos querendo destrui-la.
    Amei seu post, temos muitas convicções que as vezes só criam divisões, e no final quando nos despojamos do orgulho, vemos que estávamos enganados.
    Quando nos livramos das bagagens a vida fica mais leve e vemos melhor as cores e a evolução das flores.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana que sua muda ainda está na batalha rs, ela é mais sensível mesmo, será que é por não ter espinhos? Uma coisa que reparei é que como os galhos são mais flexíveis, alguns botões qdo pendem acabam caindo, qdo os raminhos são mais fortes aguentam o peso e eles vingam.
      É isso aí, Vi, uma vida mais leve melhora a saúde mental da gente, bjs

      Excluir
  11. Com um jardineiro cheio de amor e cuidado,
    pra que espinho pra proteger as meninas,
    não é mesmo?
    Adorei as rosas, de qualquer cor, e a forma
    como você, Dalva querida, soube dizê-la.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita e comentário, Silvio,temos que valorizar os jardineiros zelosos nessa vida.
      Abraço e ótimo domingo!

      Excluir
  12. Minha querida amiga Dalva,
    Falou de 🌹 rosas e falou de vida, falou de sensibilidade e falou de amizade, falou de vivência e de convivência... enfim, seu texto está completo, minha querida, como a sua 🌹.Todas as nuances e todas as cores e notas musicais... parabéns, amiga. Que o perfume das tuas palavras permaneça em tuas mãos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leninha, querida amiga, que comentário mais doce, fico feliz demais se minhas palavras perfumam um cadinho que seja a alma de uma amiga/o, obrigada!!! bjs

      Excluir