31 de mar. de 2020

E se não houver amanhã?

Soa como pessimismo, mas a verdade é que tudo é possível, para alguns de nós não haverá amanhã, para muitos no mundo o fim chegou, talvez com curto tempo de  reflexão, despedida relâmpago, sem velório tradicional por mais simples que seja.
Ainda há tempo de suavizar os efeitos e mesmo assim ainda continuarão a ser numerosos e dolorosos. 

Vidas para ALGUNS governantes são números, desde que não sejam os seus queridos. 
Ainda bem que nesta situação mundial são poucos os alienados que ousam ir contra o instinto de sobrevivência, o bom senso.
Pouco importa se a morte ou fome bater em portas de casas ou ruas que não os abrigam.
Iludem com a falácia do falso zelo pelo povo.
O que importa preferencialmente é a economia, a manutenção do poder dos donos do dinheiro.  Para ser sincera, penso que mesmo que suas famílias sejam vítimas, não mudarão, a insensibilidade está na alma, enraizada, não existe moral, não existe ética.
Morrem frios e convictos.

Enfrentamos governantes incompetentes e fanáticos cegos de senso crítico defendendo o indefensável, o algoz que nos devora.

Está difícil ser otimista.

Exemplos (bons e ruins) no mundo estão aí, de como o contágio está ocorrendo, experiências para ajudar a não errar tanto contra um "inimigo" invisível que pode mudar sua estratégia e confundir, afinal os lugares, climas e condições sociais são diferentes assim como posturas políticas de combate.
A ciência corre contra o tempo, contra as mentiras, a favor da vida.

E vocês, o que têm feito para se distraírem dentro da nova rotina?

Para mim não está difícil, saio pouco mesmo, mas é agonizante quando você quer por exemplo, fazer um banco de madeira, não tem aguarrás para diluir o verniz e não pode/deve ir buscar.

Isso é frustrante, mas nada comparado aos que precisam sair para benefício de todos. 
Quanto menos sairmos, menos riscos para eles e em consequência nos beneficiaremos, precisamos de serviços ESSENCIAIS. 
Não precisamos sair toda hora comprar pão fresquinho na padaria.
O dono da padaria precisa vender para não quebrar, para não ter que demitir seus funcionários, no entanto pessoas doentes ou mortas não são mão de obra, não são consumidores.
Fique em casa.

Cada um tem que lidar com o que tem, racionalmente, humanamente.

E se não houver amanhã para mim? 

Resta-me o agora.

Fiz drink de Aperol que nunca havia tomado, estava esperando um espumante em promoção.
Não tinha o copo "certo", usei o que tinha, gelo, vodka, água tônica, laranja perdida e passada na geladeira. 
Tinha sabor amargo/doce em cada canto da língua,  descendo refrescante pela garganta, mais tarde subindo à cabeça até enebriá-la.
Como é bom o prazer de algo que se deseja, seja lá o que for.
Seria melhor o sabor com espumante? 
Que importa se o amanhã não existir?
O sabor da vida e das coisas é muito particular e incomparável, assim como as dores.

Assistimos filme (Dois Papas), pipoca e cerveja.

Tretei no Facebook, fui excluída por um amigo querido de infância, aproveitei a deixa e bloqueei.
Desbloqueei outros que não guardo rancor, só não os quero presente em minha vida, seja real ou virtual.


Comecei a fazer um banco mineiro.

Fico feliz por cada folhinha nova que está nascendo em minhas plantas.

Fico feliz por ter um teto, água limpa, energia, alimentos e poder prepará-los com afeto.

Hoje, amo meu mundinho, quem está ou esteve nele, sou grata pelo que vivi, tenho e sou, por quem me ajuda, com ou sem pandemia. 

Amanhã, quem sabe antes até, posso estar disputando um leito em hospital, por um respirador ou a espera de sepultamento em uma mesa fria. Fim da linha.

São palavras duras, mas não dá para fazer de conta que está tudo sob controle, ontem  (30/03) São Paulo contratava 220 coveiros em caráter emergencial.

Um hospital de campanha foi montado com 200 leitos para casos de menos complexidade.
Um hospital dentro do velho estádio do Pacaembu que tantas vezes vi o Palmeiras jogar. É triste, é necessário.


quarentena aperol
Um brinde ao agora!


Pensei em uma sugestão otimista para compensar o post seco, que tal fazermos alguma coisa para lembrarmos destes dias e depois fazermos uma postagem com o resultado? 

Qualquer coisa, uma pintura, costura, bordado, crochê, marcenaria, luminária, reforma, plantar, escrever algo diferente...
Sem pensar em habilidades ou competição, a ideia é registrar materialmente numa peça estes dias de incerteza.
Terminarei meu banco mineiro, se tudo der certo...

O mundo mudou independente da intensidade dos efeitos do coronavírus.
O que virá depois?

Dalva Rodrigues
31/03/2020












86 comentários:

  1. Dalva, li atentamente teu texto e como tu, fico estarrecida em ver quem pensa apenas em números numa hora dessas. Nem posso crer que na verdade que só isso pense, mas como ele tem que sempre politizar, faz tanta besteira e só se queima e faz com que nós brasileiros passemos mais micos no mundo inteiro. Ele não aprende! Mas vermes não pensam! Não se preocupa, pelo menos em ter o cuidado que outros países não tiveram. Nós ainda estamos no tempo de tê-los. E PIOR! Ele tem um MINISTRO QUE REALMENTE SABE DAS COISAS, TOMA PULSO ,MAS QUANDO VIU QUE ELE ERA O PROTAGONISTA,O outrozinho DEU UM JEITO DE MODIFICAR TUDO, VISTE ONTEM O PRONUNCIAMENTO DIÁRIO? Já NÃO ERA DO MININSTRO DA Saúde O PAPEL PRINCIPAL...

    Aqui estou em casa há mais de 15 dias, sem sair pra nada! faço compras por telefone, aguardando os prazos de entrega e assim vou. Quando um carregamento chega, já é hora de outro providenciar e por aí vamos. Neno está estudando muito nesse período e sua alimentação deve ser boa e nutritiva. Então tenho essas preocupações! Além disso, afazeres normais, cuidados todos e são muitos. escrevo, programo posts e se e o vírus me pegar e Neno esquecer de bloquear meus blogs, vocês ficarão com postagens por muiiiiiito tempo, em cada dos blogs,rs...

    Adorei te ler ! Fica à vontade pra não publicar meu comentário se achares que fui muito incisiva, mas falo pra ele . Mando cada recado que sai de perto. Nem importa se ele lê ou não. Importa que eu coloque o que penso, sem medo de consequências!

    Gostei da ideia de se presentear e do momento a dois com esse brinde italiano, tri bom! beijos, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, ele quer ser o centro das atenções, sempre, mesmo que seja sendo o bobo da corte.
      Parece que vai falar em cadeia nacional logo mais, espero que de alguma forma ele mude essas atitudes porque os cegos só veem e ouvem o que ele diz. Ele fala de manhã, eles aplaudem, defendem, ele pede desculpa à tarde, eles ficam quietinhos.
      Continuem se cuidando, imagino a saudade de vocês dos netos e filhos...sem contar a Oma que precisa de atenções especiais. bj

      Excluir
  2. OLá:- A irresponsabilidade é enorme em muitos governantes. Mas também é no Povo. Batem-se palmas às janelas e depois chega o sol e as estradas ficam cheias de veículos com pessoas a ir passear. Colocam a sua vida em risco, mas pior ainda, é que colocam também a vida de quem não tem culpa da sua irresponsabilidade. Que Deus nos ajude.
    .
    Uma Santa noite

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ricardo, quando um presidente incentiva a população a sair para buscar seu sustento nesta situação ele é responsável por esta parte que obedece sem questionar colocando a vida de todos em risco. Assim ele foi eleito, com mentiras e manipulações, assim ele continua fazendo até hoje. A obrigação de um governante é proteger e ajudar a passar essa crise para todos, não exterminar. Boa noite pra vc tbm.

      Excluir
    2. Dalva Rodrigues

      Concordo na íntegra com as suas palavras.

      Excluir
  3. Querida Dalva
    Compartilho suas emoções
    Vivemos dias de medo, insegurança e incertezas
    Busco manter a serenidade e viver um dia de cada vez
    Estamos aqui, em casa, trabalhando daqui
    Eu adoro aperol com espumante, mas assim também fica bom...rs
    Fiquem bem
    Beijos querida
    Claudia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claudia, se sobreviver, certamente experimentarei com espumante também!
      Si, serenidade é a palavra para o momento. bjs

      Excluir
  4. Olá, Dalvita,

    As suas reflexões a respeito desse tempo surreal, que estamos vivendo também são as minhas.
    E, quanto a mim, penso nisso e até sinto um aperto no peito, pelo que já ocorreu e pelo que ainda há de vir (que já se mostra temerário).
    Mas há também sempre o inesperado e o universo tem uma certa tendência para estabelecer o equilíbrio das coisas. Então é melhor a gente nutrir a esperança e vibrar positivamente, como você tem feito. Gostei da bebida e das sugestão de atividades criativas e prazerosas, para postagens posterirores (coisa que eu já venho fazendo, desde o início da quarentena; aliás, falei sobre isso no meu último post, rsrs)

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marly, penso como vc, a mesma sensação...
      Meu medo é que o desequilíbrio está acontecendo por causa de nós, humanos...
      Fui ler, o Blogger anda meio doido, subindo postagens antigas e novas, eu me confundo toda. bjs

      Excluir
  5. Dalva querida, o mundo está sofrendo. Todos os governantes estão errando. Não há receita. Desde que me conheço por gente ainda não vi falar de um presidente que pensasse no povo, apenas em seu poder, dinheiro para os seus. Quem sabe, depois dessa catástrofe, venha a surgir um salvador da pátria!
    Ontem, depois de 14 dias, precisei ir ao mercado. Saí como se estivesse cometendo um crime, toda paramentada, embora dizem que não é preciso, mais seguro morreu de velho. Comprei o extremamente necessário. Na volta fiquei uma hora higienizando tudo, 30 ovos, um por um. Até hilário ou paranóico. Mas estamos vivos. Ainda. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helena, estou nessa paranoia também, já pensou ficar doente mesmo que não seja covalid? Sem contar que implicaria outras pessoas a se exporem...Fico com o velho ditado que citou.
      Amiga, não existe salvadores da pátria, um governo razoável e sério, só isso já bastaria. bjs

      Excluir
  6. Oi Dalva, pensei nisso, posso ser alcançada pelo vírus, mas ficar pensando nisso vai me deixar neurótica, então, vou fazer o que posso, orar e obedecer os médicos. Quanto aos políticos, sei que temos posições divergentes, mas continuo acreditando que politico nenhum presta, que todos só querem se dar bem, só pensam em si, jogam migalhas ao povo enquanto enriquecem privando o povo de tudo. e não digo isso para justificar o traste que esta no governo hoje, este é traste e burro, dirigido por um lunático. As atitudes dele e da família dele só trazem mais instabilidade e ódio.Mas o melhor é cuidar das plantas, ficar o minimo possível na internet, não podemos mudar o mundo, o vírus pode mudar o mundo, porque eles estão todos unidos em torno de um objetivo, nós humanos nunca nos unimos, nem para o nosso próprio bem, somos egoístas, avarentos.
    Cuide da sua saúde, stress abaixa a imunidade, e isso é perigoso.
    Amei sua sugestão de música, amo Legião.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi, a visão política pode ser divergentes, mas a partir do momento que elegemos alguém, seja o nosso candidato ou não, é dever de cidadania apontarmos o que o eleito faz de errado prejudicando a a sociedade. Tem uns que a gente torce para termos motivo para aplaudir, mas o trem é ruim demais como essa família... To tentando não me estressar, vc tem razão. bjs

      Excluir
  7. Dalva querida,
    É verdade indiscutível tudo o que você diz sobre o energúmeno...e, infelizmente repercutiu negativamente no mundo inteiro criando uma falsa impressão que se reflete em nós, povo que, em sua maioria renega estas atitudes deste Nero moderno.
    Gosto muito do seu modo de escrever, amiga, sincero e transparente. E de saber que prática marcenaria, algo que sempre exerceu uma grande atração em minha pessoa, porém não consegui nunca aprender, apesar de ter tido uma companheira de vida habilidosa e criativa que fabricava o que quisesse com a maior facilidade. Ela já se foi, porém vários trabalhos seus , inclusive um baú de uma perfeição incrível, me acompanham e me fazem lembrar de sua imensa capacidade criativa.
    Quanto a minha vida de isolamento social, não está difícil, apenas está diferente. Eu que passava os dias no consultório do meu irmão, utilizando apenas uma sala, agora estou em 🏠, cozinhando todos os dias( só fazia isto uma vez por semana para elaborar as nossas marmitas), cuidando da casa e de uma pequena hortinha com minha irmã e vendo TV na sala ou em meu querido sótão, onde também escrevo. Como vc pode ver, faço mais coisas em casa do que fazia no consultório e tenho também muito mais espaço pra me movimentar.
    Achei muito interessante a sua bebida que eu não conhecia...sou do tempo da cuba libre, do Martini e da marguerita...
    Já me alonguei muito mais do que pretendia... são 3:53 da madrugada e devo dormir.
    Um beijo carinhoso pra você, minha querida amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leninha, quem me dera dominar a marcenaria, vi uns vídeos no youtube e vou tentar, nem tenho ferramentas adequadas, na verdade, acabei de perder o medo de furadeira ano passado :D
      Que legal ter uma peça assim além de linda, cheia de significados.
      Sua rotina ficou mais legal ainda!
      Também sou do tempo dessas bebidas clássicas, adoro. bjs

      Excluir
  8. Colocar um emotion na janela é de mais.(risos, muitos risos)
    Você é fantástica, sempre que posto alguma
    coisa fico ansioso a sua espera.
    Adoro você e graças a Deus você sabe.
    Beijos, virtuais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido! Ainda bem que de vez em quando o faço rir! Obrigada pelo carinho, bjs

      Excluir
  9. A economia é importante, mas a saúde vem sempre primeiro.
    Melhores dias virão.
    Dalva, tenha um bom fim de semana. Em casa...
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jaime, sempre primeiro! economia com a população doente e a sociedade em caos, não avança.
      Bom fim de semana, bjs

      Excluir
  10. Dalva, gostei muito da sua reflexão realista.
    Penso que esse tipo de pensamento deve estar presente nas pessoas conscientes, e mesmo em muitas que achavam que a morte é algo muito distante.
    Gostei de vê-la sentindo a vida com o drink que estava aguardando seu momento.
    Vamos continuar reconhecendo e agradecendo tudo que temos, e aguardando o fim do pesadelo.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Heloísa, que o pesadelo acabe o mais breve possível, sem ilusões que podem só piorar a longo prazo. bjs

      Excluir
  11. Oi querida. Vim aqui te dá um abraço virtual. Em um tempo que não podemos nem abraçar, ficar junto. Boa a sua reflexão. Nos levando a refletir em tudo isso que estamos vivendo. Que dias melhores venham e que esse pesadelo acabe. Bjs querida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo abraço amiga, o retribuo com desejos de saúde para todos aí, que alegrias não falta com os gêmeos, com certeza. bjs

      Excluir
  12. Querida Dalva, boa sua postagem sem meias palavras, porque a vida exige.
    A humanidade às vezes está surda.
    EU ouvindo a outra Dalva que adoro a Oliveira e creio que voltarão as flores numa encantada manhã.
    É certo, que vamos chorar por alguém, ou chorarão por nós, mas vamos na crença, que ainda não será agora.
    E se não houver amanhã é a grande questão. O amanhã é por vezes distante, o agora urge aos nossos ouvidos, que tomemos todos os cuidados. Faz tempo, muito tempo, que li um livro do Ignácio de Loyola Brandão sobre uma visão futurista de São Paulo (Não verás pais nenhum) acho que nos anos 80, mas que é atual, procure ler ou algum resumo pela Net.
    Fiquei aqui imaginando este drink, deve ser bom.
    Mas vamos crer, que tudo vai dar certo, como brasileiro que somos.
    Legal esta ideia de fazer algo e mostrar depois. Curioso para saber o que é este banco mineiro,rsrs
    Um bom domingo com uma paz em meio ao tenso.
    Beijo de paz amiga e cuide-se bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não li o livro, Toninho, mas já ouvi falar muito, vou procurar um resumo na net.
      Meu pai gostava de Dalva de Oliveira, na primeira infância eu ouvia bastante no rádio, foi bom lembrar disso.
      Toninho, banco mineiro é aquele rústico, simples, sem encosto, os pés (2) são no formato de uma bandeirola, também chamam de banco de pedreiro. Meu pai como bom mineiro, sempre teve um no quinta, pra prosear, ver o tempo passar...
      Boa semana, continuando os cuidados. bjs

      Excluir
  13. Vocês, o que têm feito para se distraírem dentro da nova rotina?

    Boa noite de paz e saúde, querida amiga Dalva!
    Estou lendo muito, escrevendo outro tanto, crochê, alguns exercícios em casa, cuidando bem da higiene nossa aqui.
    Olhando para o Céu azul lindo da varanda e conversando com Deus.

    Está difícil ser otimista.

    Até porque nos próprios familiares tem sempre um urubu. É pena! Busco forças nos beija-flores que são em maior número.
    Se não houver amanhã, terei amado muito no hoje e posso partir em paz, 🕊️.
    Tomo agora com você, uma taça de vinho para brindar o hoje bonito que temos nos blogs.
    Tenha um final de semana abençoado com saúde!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem
    💐😇🙏😘🕊️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A distração com o que gosta faz a reclusão ser mais tolerável, Roselia, faz bem.
      Tim tim, vinho é sempre uma boa pedida! bjs

      Excluir
    2. 💐🌈🐦😇💙🙏🕊️😘😘😘

      Excluir
  14. Querida amiga, não tenho conseguido estudar, antes fazia isolamento voluntário e estudava, estudava, estudava.... agora não consigo, mas já fiz um vestido e estou tricotando uma manta enorme com lã de uma blusa que desmanchei, tricoto enquanto assisto séries e filmes, mas e gostei da tua ideia. Vamos marcar uma data, tipo daqui a 10 dias (pense e me avise) e fazer uma postagem coletiva com o que nós produzimos nesse período sombrio. Assim inspiramos quem está em casa e divulgamos que é possivel criar algo, mas que se não for possível também não tem problema.
    Muita Luz e Paz!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mente é fogo, né Adelaide! Gostaria de ver a manta depois, gostei da ideia de postagem coletiva, no entanto acho que 10 dias é muito pouco (estou falando egoisticamente porque não tenho madeira para os pés do banco que estou fazendo), mas vou ver se tenho material para algo completo, daqui uns dias confirmo, adorei sua ideia, valeu! bjs Ah, espero que o mano esteja melhor.

      Excluir
  15. Tô fazendo bolooooooooooooooooooooooooo, rsrsrsrsrsrs !

    A minha esperança está só em Deus ! Nunca olhei com bons olhos para nenhum político, desde pequena via minha que sempre foi muito politizada mostrando todas as faces de todos eles, então, pra me enganar o cara tem que ser o bichão da tapioca, porque sempre olho pra todos dizendo : tá só querendo se dar bem nas minhas custas, rsrsrsrs

    Bjus miga e vamos que vamos, se Deus quiser, vamos passar !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bolo é sempre um prazer, de fazer e comer, ainda mais agora que até uma saidinha na padoca dá medo.
      Bichão da tapioca....hahaha....que trem é esse? bjs

      Excluir
  16. Faz tempo que somos apenas números, peças baratas e facilmente substituíveis. Os algozes do capitalismo estão desesperados porque por essa da pandemia eles não esperavam. Estou feliz pelo planeta conseguir um pouco de espaço pra respirar, do jeito que a coisa ia, rapidamente sufocaríamos nossa Deusa-mãe, a Terra!
    Se eu sobreviver ao Covid-19, pode contar com algum trabalho que irei fazendo, especialmente pra sua postagem. Certamente será um trabalho artesanal. Quem viver festejará, Aleluia!
    Amei sua postagem, muito mesmo.
    Demorei a vir porque não soube da postagem antes, mas super valeu a pena passar aqui.
    Tenha uma boa semana e cuide-se muito bem.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, vou contar com sua postagem, há de dar tudo certo e lembraremos desses dias difíceis, mas passados.
      Sandra, o Blogger está estranho, também tenho passado batido por postagens, a últimas sua, só fiquei sabendo qdo vi no FB. Não sei se pelo celular é diferente, não dou conta de entender, amiga. bjs, boa semana e vá fazendo arte por aí!

      Excluir
  17. Boa noite Dalva,
    Como todos estou confinada, espero pelo um novo amanhã, parei de ouvir e assistir tv, me causa naúseas esses políticos se alfinetando, tanta gente morrendo e para eles não significa nada essas perdas.
    Estou rabiscando , lendo cuidando dos meus afazeres, estou bem graças a Deus.

    Fique bem amiga e se cuide.

    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos temos que nos preservar para o bem de todos, Diná.
      Dar uma fugidinha da realidade é importante para a saúde mental. Bjs

      Excluir
  18. Seu texto é forte, verdadeiro, realista e nos traz uma reflexão relevante de tudo o que está acontecendo, proveniente desta pandemia. A tristeza, o temor, a insegurança rondam nossos lares, mas a fé deve ser nosso suporte. Nesses tempos de isolamento estou blogando mais, visitando os amigos virtuais, me deliciando com os texto, aprendendo com cada lição tirada deles, fortalecendo meu espírito, comentando, brincando, pintando, escrevendo, jogando e me cuidando e cuidando do outro.
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, Lucia, tirando o melhor disso tudo com zelo. bjs

      Excluir
  19. Oi, Dalva. Gostei da postagem, há muitas verdades nas tuas palavras, sinto identificação com muitas das tuas afirmações. Infelizmente, para a maioria o que sempre mais importa é o que há de mais superficial - e o verdadeiro deus da grande maioria é o dinheiro. São tempos obscuros esses pelos quais estamos passando, mas nada é, tudo está. Difícil, sim, manter o otimismo, mas não podemos esquecer que tudo passa, o que é bom e o que é ruim. Espero que estejas bem, obrigado por teu comentário, um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita e comentário pertinente, Ulisses!
      Aqui estamos bem na medida do possível, torçamos para o 'passar', trazer outras perspectivas de humanidade. bjs

      Excluir
  20. Olá querida Dalva,
    Quantas verdades no seu brilhante texto, esse vírus surgiu mais uma vez por culpa do homem que insiste em destruir a natureza e sua fauna. Infelizmente a ganância e o dinheiro corrompem os homens e nada mais interessa neste mundo, nem mesmo a vida de inocentes. Este nosso presidente é um genocida, um maníaco que deveria ser internado, ainda bem que temos um ministro com inteligência e sensibilidade humana ou o estrago poderia ser bem maior.
    Em tempos de quarentena o jeito é ficar em casa o máximo possível, nem sempre dá porque temos que comprar comida e não tem como pedir tudo por aplicativos ou telefone. Espero e desejo que tudo isso passe e a vida volte ao normal, no momento só podemos rezar por dias melhores.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Alécio, pegamos essa pandemia com o pior governante que poderia existir, que sempre demonstrou seu desprezo pelo povo, não tenho dúvidas de que é um genocida, convicto.
      Dá medo encarar a rua, mas...Veremos como isso vai adiante...bjs

      Excluir
  21. OI Dalva, está difícil mesmo essa fase. Passar por tudo isso ainda com governo irresponsável e inconsequente é muito pior. Como você disse: morto não é consumidor, nem funcionário. Melhor que podemos fazer é ficar em casa o máximo que pudermos. Aqui estamos todos em quarentena. Todos em casa, pedindo entregas do que é necessário. Tenho feito as minhas pinturas e fico pensando em quando as tintas acabarem... Tenho trabalhado muito em home office e feito algumas coisas leves que me dão prazer.
    beijs
    Chris


    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chris, parece até tempos de guerra, tenho medo de racionamento além do medo de sair de casa...SE as coisas piorarem e essa é a realidade que enfrentaremos, o medo só aumentará. Cuidemos-nos, bjs

      Excluir
  22. Passei para ver as novidades.
    Mas gostei de reler o seu magnífico texto.
    Dalva, continuação de boa semana e boa Páscoa (a possível).
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jaime, obrigada pela releitura e comentário.
      Boa Páscoa, bjs

      Excluir
  23. Olá, Dalva!


    Li com atenção e interesse esta sua crônica, até o fim, minha amiga. Penso que ninguém poderá dizer que você é pessimista, posto que o Coronavírus está em nossas portas. Realista é o que você é, nunca pessimista. Eu também penso como você, no que diz respeito ao nosso futuro, que é incerto. Os exemplos estão na Europa e nos Estados Unidos, onde a morte é aumentada todos os dias. Agora os noticiários mostram a extrema fragilidade dos países africanos para enfrentarem o vírus, dizendo que o número de pessoas que sucumbirão será de grandes proporções.

    Esperemos, pois, amiga Dalva, para ver o que esta para acontecer.

    Um bom feriado e final de semana, em casa, com os cuidados necessários, Dalva.

    Beijo.

    Pedro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Pedro...já se passaram alguns dias desde essa postagem e apesar de alguns países já estarem baixando a curva, eles já passaram o pior e nós, não. Sem contar que muitos estão relaxando, ou seja, continuo realista.
      Bom feriado pra vc também, bjs

      Excluir
  24. Dalva, querida amiga, não estou nada otimista, nem pessimista; não estou nada disso. Na verdade não estou de jeito nenhum, sei lá como estou! Vejo coisas incríveis acontecendo, por isso estou assim. Li a Chica e você, lá em cima, e concordo, também. Não levanto bandeira nenhuma, não é hora disso, só quero entender as coisas: Mandetta me parece sério, o raio da economia vem depois, defunto não compra nada, não bebe, não come. Fico a pensar como veio esse corona, claro, umas respostas já vieram, mas por enquanto não interessa. Mesmo que todos abram tudo, nós ficaremos em casa. Não falta muito para os brasileiros entrarem em colapso mental. Em casa estou tranquila, vivo bastante em casa, gosto, não é sacrifício. O porquê que estamos agora em casa é o que desanima. O pico da pandemia no Brasil é esse mês de abril. Por outro lado vejo (via TV) gente nos parques, em filas de Banco, em Mercado Público para comprar esse raio de peixe e convidar a família inteira para a Páscoa!!! Tá errado. Amiga, paro por aqui, a vontade é escrever umas 3 páginas, mas fica 'gel', palavrinha que usamos aqui no sul, significa calma.
    Beijo grande, coloca teu espírito, tua alma nos teus textos, ajuda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tais, estes que saem à ruas como se fosse um super feriado para se divertir, sem precauções, só se darão conta da gravidade quando seus entes queridos, conhecidos, começarem a adoecer, morrer... Não conhecia 'gel',tri, como diz a amiga, Chica! bjs

      Excluir
  25. Oi Dalva!
    Momento de tomada de decisôes como nunca havíamos sequer imaginado.
    Temos de ter em mente que somos todos responsáveis por nós mesmos e por cada um Pois estamos numa guerra contra um inimigo invisível e traiçoeiro.
    Minha família está em quarentena e assim permaneceremos.
    Que a fé não nos abandone.
    Gostei da ideia do trabalho e posterior compartilhamento. O que mais tenho feito é escrever.
    Boa noite amiga.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Zilani, é como se estivéssemos em um filme de ficção...
      Se fizer algo, ficaria feliz que partilhasse depois! bjs

      Excluir
  26. Hoje só venho desejar dias de serenidade e resguardo nestes dias
    de uma Páscoa muito diferente...

    Desejo que tudo corra da melhor maneira para si e para os seus.
    Abraços carinhosos.
    ~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Majo, para você também, precisamos de serenidade e bom senso como nunca!bjs

      Excluir
  27. Filosofaste como nunca, minha amiga.
    Um beijo de muitos porque o fim
    ainda não chegou.
    Obrigado por hoje e por ontem,
    amanhã eu volto pra te abraçar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É filosofia de boteco caseiro :D
      Um abração meu querido, volte sempre, bjs

      Excluir
    2. Oi, Voltei. Voltei, mas não para dizer
      nada, aliás, para dizer boa noite, só
      isso.
      Um beijo e se guarde longe dos amigos
      e dos inimigos também, e por que não?

      Excluir
    3. Silvio, nem dou bola para inimigos, se existem vão "lutar" sozinhos :D
      Um beijo amigo e boa noite para você também, sobrevivemos mais um dia! ;)

      Excluir
  28. Oi, Dalva!
    Coloquei um vasinho com um broto de Espada de São Jorge no meu banheiro ao lado da bica da pia do banheiro. Todas as vezes que lavo as mãos, aproveito para acompanhar seu desenvolvimento. Sei que essa planta cresce rapidamente e eu gostaria que tudo o que está acontecendo no mundo, passasse tão mais rapidamente que o crescimento dessa plantinha. Estamos em uma corrida desenfreada contra o tempo. Não vamos perder tempo com picuinhas políticas. Não vamos a lugar algum, não é mesmo? Rezemos pelos almas que partiram, também pela nossa proteção e das pessoas que o nosso olhar alcança. Tudo isso vai passar!! Vamos brindar aos bons momentos que ainda podemos produzir. Beijus no coração!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Luma, sua espada de São Jorge será uma lembrança viva desses dias turbulentos.
      A melhor ideia é essa, viver e produzir o nosso melhor, hoje.
      Que bom vê-la escrevendo, sou fã de seus textos! bjs

      Excluir
  29. Olá. Independentemente de ler o texto/poema, aqui inserto, passo a fim de desejar uma Páscoa muito feliz, independentemente dos condicionalismos, inerentes e impostos, pelo afastamento social, e quarentena, que todos nós estamos a viver e a sofrer. Votos extensíveis a toda a sua família.
    .
    Abraço virtual.

    ResponderExcluir
  30. Obrigada, Ricardo, tenhamos dias de paz mesmo que confinados ou correndo riscos por todos. bjs

    ResponderExcluir
  31. P elo Amor derramado

    A paz enfim reinou

    S ó nos resta o Amado

    C om todo esplendor

    O sol nos vem calado

    A contemplar tanto Amor.

    Boa Páscoa, querida amiga Dalva!
    Bjm festivo, carinhoso e fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Roselia, desculpe o atraso, que tenha tido uma Páscoa alegre dentro do possível. bjs

      Excluir
    2. 🔔🌻🌼💐🕊️😇😘

      Excluir
  32. Passei para deixar meu virtual abraço e desejar um Feliz e abençoado domingo de Páscoa querida Dalva.
    Bjss"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe o atraso, Diná, que tenha tido uma feliz páscoa também. bjs

      Excluir
  33. Passo para desejar
    Santa Páscoa, cristã!
    Que a luz desta manhã
    De domingo, no teu lar,
    Venha a iluminar
    Teu espírito e mente
    Com a luz do Onipotente
    Senhor Deus Celestial
    E que o Cordeiro Pascoal
    Seja à tua alma um presente!

    Feliz Páscoa a ti e aos teus, Dalva! Abraço! Laerte.

    ResponderExcluir
  34. Oi Dalva, bom dia!
    Há tempos eu não lia tantas verdades ditas n/só post. Parabéns!
    O dia que as pessoas deixarem de ver política como uma luta de box ou uma partida de futebol onde há torcidas, vencedores e vencidos, aí eu vou ter certeza de que passarão a somar ao invés de dividir e enxergarão que o único vencedor deve ser sempre o povo n/total.
    Bjssss amiga e uma semana de paz e esperança p/vcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Dinha,o jogo tem começo e fim, não se pode ficar o resto do tempo como adversários, acabou, perdeu ou ganhou, a vida continua. bjs

      Excluir
  35. Dalva,
    Bora ter sempre essa coragem
    de esperar que melhore.
    Adorei o drink, é colorido
    e já assisti filme
    Os Dois Papas e Adorei!
    Hoje vim aqui te ler e agradecer
    por sua presença na Internet/Blogfera
    que une e reúne pessoas
    ao redor da palavra.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Catiaho, interagir com sabedoria é uma das coisas boas da virtualidade. bjs

      Excluir
  36. "Para ser sincera, penso que mesmo que suas famílias sejam vítimas, não mudarão, a insensibilidade está na alma, enraizada, não existe moral, não existe ética.
    Morrem frios e convictos'
    Dalva, esse seu texto é phodd@, esse parágrafo nos mostra como algumas ( poucas, ainda bem) pessoas podem ser indiferentes e cruéis. Que haja rapidamente uma transformação nos nosdos corações, porque, como dizia munha ex sogra: caixão nao tem gaveta e, muito antes do que imagunamos seremos esquecidos.
    Um abraço fraterno de quem te gosta muito.
    🌷

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Sandra! Sua sogra tinha razão e ter vivido de forma insensível e cruel é o verdadeiro fracasso existencial. Só to aqui pensando no que nos espera se trocarem o pessoal da Saúde...aff bjs

      Excluir
  37. Oi Dalva esta tudo bem? em tempos de pandemia ficamos zelosos com os amigos.
    Se cuida, muita saúde, beijos

    ResponderExcluir
  38. Estamos bem por qui, Vi, se cuidem também! bjs

    ResponderExcluir
  39. Voltei, mas ainda não há novidades...
    Dalva, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  40. Bjssssssss amiga e um FDS de fé e esperança p/todos nós é o que desejo

    ResponderExcluir
  41. Enfim. Se não houver o amanhã vivamos
    o depois não é assim? Quando nos isolam
    daquilo que se quer se faz oura coisa.
    Portanto, minha querida Dalva. Nada me
    tira a vontade que tenho de viver a minha
    vida e a dos outros, caso me permitam.
    Beijos de caramujo (dentro de casa)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chegamos a um ponto em que viver só está sendo em parte opcional, Silvio.
      Abração, Sr Caramujo, bom final de semana!

      Excluir
  42. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou escondidinho aqui pra falar sobre o comentário
      que você fez sobre o SUS. Canso de ouvir os governantes
      falarem que o sistema é admirado e até copiado por outros
      países, mas que nenhum se compara ao nosso - eles dizem.
      Dalva, eles estão certos quanto a isso porque nenhum se
      compara ao nosso, mas infelizmente o nosso não funciona!
      Isso porque não temos médico, não temos enfermeiros, não
      temos leitos e não temos UTIs quando se precisa, e quando,
      por um milagre, nada disso fica faltando, logo aparece um
      espírito de porco pra dizer que o soro acabou, que não tem
      esparadrapo, gaze ou o anestesiologista passou mal e precisou
      ir pra casa. Aí só chorando, né não, meu amor?
      Um beijo e muito obrigado pelo comentário, sempre inteligente,
      como a dona que além disso também é minha amiga.

      Excluir
    2. Silvio, eu que agradeço o comentário!
      Continuemos a "ficar de molho" o máximo possível, amigo! bjs

      Excluir