27 de ago de 2011

Um carinho...

Ontem visitei minha tia, minha madrinha querida, aquela que me
ensinou tantas coisas, tantos prazeres inimagináveis para minha
realidade...
Até o nevoeiro típico de São Bernardo veio me recepcionar com seu frescor cheiroso e não precisei nem fechar os olhos para voltar ao passado tão distante...Ah, como esquecer meu primeiro livro (O Meu Pé  de Laranja
Lima), lido na varanda de sua pequena e calorosa casa; meu primeiro encontro com o eterno Principezinho de Exupéry; o cinema; minha
primeira palavra cruzada (Picolé); o inesquecível sorvete de ameixas; as primeiras dicas para preparar bolos; a cama de "armar" aberta na
cozinha, preparada com tanto carinho, onde ao amanhecer ficava ouvindo o barulho dos carros que passavam; os presentes inesperados; e a comida então, nem se fala, era (é) a melhor do mundo e o cheiro me torturava já que lá jantavam bem mais tarde que em minha casa; sua dignidade mesmo vivendo um casamento machista e autoritário...
As visitas à sua casa fizeram parte de minha infância e adolescência...Como é gostoso encontrá-la, dar um abraço bem apertado, comer uma comidinha contando as novidades, sentar no sofá e ficar
olhando as fotos antigas, revivendo tantos momentos, tantas pessoas que
passaram em nossas vidas...e que surpresas nos trazem essas caixas de
fotos do passado...
Saudade é muito bom quando as caixas estão repletas de tesouros vivenciados de verdade!!!
À ela, minha amada tia Margarida (para mim, sempre será Fiinha) meu eterno amor e gratidão.
  
Pstagem original: Publicado em: 21 de dezembro de 2008 às 19:45

Nenhum comentário:

Postar um comentário